Portal do Governo Brasileiro

Notícias do PAC

Assinar RSS O que é RSS?

PAC 2 promove maior compra do mundo de máquinas para pequenos municípios

31 de Outubro de 2013

O ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, afirmou que o investimento do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para compra de máquinas aos municípios com até 50 mil habitantes é o maior do mundo já realizado por um governo de Estado. Na entrevista para o programa “Bom Dia, Ministro”, ele lembrou que a iniciativa levou em conta a mobilidade urbana de 5.061 municípios, o que representa mais de 90% do país.
 
“Isso significa um investimento de aproximadamente R$ 1.020.000 por município. Estamos investindo, portanto, R$ 5 bilhões neste programa, o maior programa de compra de máquinas realizado no mundo atualmente por um governo. Estas máquinas são para permitir que os municípios cuidem melhor das estradas vicinais. Nossa previsão é que até o fim de abril de 2014, todos os municípios estarão atendidos com esse programa”, constatou o ministro sobre aproximadamente 11.400 equipamentos previstos para serem entregues neste período.
 
Pepe Vargas falou também sobre os benefícios dos programas voltados para a agricultura familiar, como o Plano Safra, o Plano Safra Semiárido e o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Nos 10 anos desde o lançamento do programa, a renda da agricultura familiar cresceu 52% e permitiu que mais de 3,7 milhões de pessoas ascendessem para a classe média. O segmento é responsável por 84% dos estabelecimentos rurais do País; 33% do PIB agropecuário e por empregar 74% da mão de obra do campo, segundo dados do IBGE.
 
“O Pronaf é muito importante para o agricultor porque garante renda, e é muito importante para o Brasil porque os agricultores familiares produzem alimentos. Garantir uma oferta regular de alimentos para o consumo da população brasileira ajuda a deixar a inflação mais baixa, e garante a segurança alimentar e nutricional e a soberania alimentar do país”, comentou o ministro.
 
Durante a entrevista, Pepe lembrou também que, apesar da forte estiagem no Nordeste, em 2012 foi a primeira vez em que o Plano Safra precisou de mais recursos devido a grande demanda de agricultores familiares. Além dos R$ 18 bilhões destinados ao crédito no início do ano passado, foram R$ 600 milhões a mais do que o previsto pelo governo federal. O plano em 2013/2014 vai contar com recursos de R$ 30 bilhões.

(Fonte: Blog do Planalto)