Portal do Governo Brasileiro

Notícias do PAC

Assinar RSS O que é RSS?

Governo federal anuncia investimentos de mobilidade na Bahia

16 de Outubro de 2013

O ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, disse na última terça-feira (15/10), em Salvador, que os investimentos em mobilidade urbana atendem uma demanda urgente de obras que possam devolver o tempo à população dos centros urbanos.
 
"Nos dias de hoje, o tempo passou a ser um dos bens mais preciosos porque devolve à população a oportunidade de lazer, descanso e convívio familiar" disse Aguinaldo Ribeiro.
 
Ele integrou a comitiva da presidenta Dilma Rousseff na visita à capital baiana para anunciar investimentos de aproximadamente R$ 2,3 bilhões em obras de mobilidade urbana, entre elas, metrô, VLT e BRT, depois de entregar 1.740 unidades habitacionais do programa Minha Casa, Minha Vida em Vitória da Conquista (BA).
 
A mobilidade urbana, segundo o ministro, durante muitos anos não foi prioridade dos governos. Essa situação provocou um represamento de projetos e afetou principalmente os grandes centros urbanos que cresceram nos últimos anos em virtude do deslocamento populacional das áreas rurais para as cidades. "Hoje, 84% dos brasileiros vivem nos centros urbanos. Essa situação provocou a necessidade de investimentos em obras de infraestrutura, principalmente na área de mobilidade urbana", afirmou.
 
Aliado a esse movimento populacional, o ministro lembrou que houve melhoria da renda das famílias que passaram a adquirir bens de consumo como carro. Os dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) mostram que hoje, o país tem seis milhões de veículos circulando pelas ruas e estradas, o que coloca o Brasil como o quinto mercado automotivo do mundo.
 
Para enfrentar esta situação, disse o ministro, a presidenta Dilma Rousseff lançou um programa de investimentos em obras de mobilidade urbana da ordem de R$ 90 bilhões e colocou o tema entre os cinco pactos que lançou em junho deste ano, quando anunciou o investimento de mais R$ 50 bilhões para o setor. "Hoje temos um total de R$ 140 bilhões em investimentos para o setor. Foi uma decisão de governo transformada em política pública".
 
O grande desafio, segundo ele, ainda é a elaboração de projetos por parte dos estados e prefeituras que há vários anos deixaram de investir no planejamento e na gestão de obras em mobilidade urbana.  "Este é o principal item da agenda deste país. Estas obras levam em conta o bem estar do povo em detrimento da política", garantiu o ministro ao lado do prefeito de Salvador, Antônio Carlos Magalhães Neto (DEM) que também receberá do Governo Federal recursos da ordem de R$ R$ 600 milhões para a construção do BRT Lapa- Iguatemi.
 
No seu discurso, a presidenta lembrou que durante muito tempo foi difundida a ideia de que metrô era uma obra de país rico. "Tínhamos que nos contentar com o ônibus. As cidades cresceram com grande parte da população vivendo na periferia. O transporte público passou a exigir recursos significativos e metrô era coisa de país rico. Nós mudamos: metrô é uma obra de pais continental", disse. Além da obra, ela lembrou que também é necessário cuidar das condições do transporte público para garantir conforto, segurança e qualidade para os passageiros.
 
Durante o evento, o prefeito de Salvador, Antônio Carlos Magalhães Neto, lembrou que esteve com a presidenta Dilma Rousseff antes de tomar posse no ano passado, acompanhado pelo governador da Bahia, Jacques Wagner. Na época, a presidenta recomendou que para ter acesso aos recursos federais deveria apresentar bons projetos e boas ideias. "As suas palavras me estimularam. Hoje, sou testemunha de que a presidenta é uma mulher de palavra", afirmou o prefeito.
 
O governador Jacques Wagner disse que a presença da presidenta no seu estado acabou com a ideia de que o metrô de Salvador não seria concluído. Os investimentos anunciados por ela, segundo ele, diminuirão o tempo que a população gasta hoje nos deslocamentos na cidade. A presidenta e sua comitiva retornaram a Brasília no início da tarde.
 
(Fonte: Ministério das Cidades)